Welcome Back: desafios do “novo normal” ? – Sphere | International School

Welcome Back: desafios do “novo normal” ?

No pós-pandemia, verificamos a necessidade do desenvolvimento de um “novo normal”.

Os professores, neste modelo, devem adequar seus métodos de ensino, tendo como referência os protocolos de segurança sanitárias homologados pelas autoridades competentes, a fim de encontrar um meio termo entre o dia a dia pré-pandemia e o período de distanciamento social.

Esse é um grande desafio em se considerando que tal construção está ocorrendo, literalmente, enquanto o voo acontece, ou seja, tudo tem que ser aprendido enquanto a pandemia está em vigor, no Brasil e no mundo. Não há referências anteriores na história senão aquelas que estão sendo construídas nesse exato momento, aproveitando a experiência alheia, de países e escolas estrangeiras ou brasileiras, em especial as primeiras, que vivenciaram esta crise da saúde antes do Brasil.

De qualquer maneira, as adaptações estão acontecendo, com apoio dos gestores das escolas, empresas privadas, instituições que realizam estudos sobre a educação a distância, ONGs e secretarias de educação estaduais e municipais.

Para os alunos e seus familiares, por outro lado, ficam sempre dúvidas e sobram queixas sobre as mudanças, na comparação com o mundo anterior, eminentemente presencial. Há dúvidas sobre o funcionamento das plataformas, a respeito das atividades propostas, em relação ao cronograma, no que se refere a avaliações, entre outras questões normalmente levantadas.

Como funciona a tecnologia educacional na prática

A rede Sphere usou as recomendações de órgãos internacionais e nacionais, além de boas práticas de outras escolas com a certificação IB (International Baccalaureate) na China, Japão e Coréia do Sul para desenvolver os seus protocolos.

Veja abaixo algumas das medidas que a Sphere International School propõe para os seus alunos:

Educação Infantil e Ensino Fundamental I serão os primeiros a retornar, enquanto os alunos de Ensino Fundamental II continuam com a modalidade de ensino remoto. Assim que os fluxos de circulação de pessoas se mostrarem favoravelmente efetivados, os demais alunos voltam às aulas.

Alunos e profissionais que são do grupo de risco deverão avaliar com os seus médicos o retorno às atividades presenciais. Porém, a escola garantirá a continuidade das atividades remotas para esses grupos.

Será obrigatório o uso de máscaras por todos. As crianças da Educação Infantil terão essa obrigatoriedade flexibilizada, e medidas de higienização de brinquedos e demais objetos, além da higienização frequente das mãos com álcool gel, serão constantes.

Já os professores e monitores, que estão próximos aos alunos acompanhando suas atividades e mediando a aprendizagem, além das máscaras, receberão viseiras para reforçar a segurança. Os profissionais que lidam com crianças menores também vão usar toucas e aventais descartáveis.

Foram muitos dias de isolamento social, uma enxurrada de informações e notícias sobre contaminação e mortes. Os educadores deverão ter escuta ativa para perceber o medo e a angústia dos alunos. Devem ouvir suas preocupações e responder suas perguntas. Os educadores devem incentivá-los a expressar e comunicar seus sentimentos. A Sphere International School também vai apoiar as famílias com informações sobre como ajudar as crianças neste período.

Será feita uma avaliação para identificar possíveis dificuldades desenvolvidas no período de ensino online. Alunos que tiveram problemas de acesso ou de acompanhamento das aulas podem apresentar lacunas de aprendizagem que devem ser observadas pelos professores para que seja elaborado um plano de recuperação e rapidamente sejam superadas.

As novas regras de etiqueta social serão reforçadas para todos os alunos, as discussões sobre fake news também vão aumentar, ajudando os alunos a entender o que são e onde encontrar informações verdadeiras. Todos os ambientes escolares serão mais arejados possível, especialmente as salas de aula e, sempre que for viável realizado em áreas abertas. As aulas de educação física não terão contato e sem o compartilhamento de materiais.

A estrutura operacional será repensada para que alunos e colaboradores mantenham uma distância de 1m a 1,5m entre eles e às demais pessoas em todas as atividades presenciais. Serão feitas demarcações no chão para marcar onde as crianças devem ficar, os elevadores só serão usados por pessoas com mobilidade reduzida e apenas uma por vez, as mesas do refeitório serão separadas e os alunos deverão intercalar as cadeiras, além de reduzir a capacidade máxima do local por uso.

Modelos de adesivo de chão.

Termômetros digitais com infra vermelho serão usados pelo menos duas vezes por dia para checar as temperaturas (que deverá estar abaixo de 37,6°C) de todos dentro do estabelecimento.

Antes da reabertura oficial, todas as unidades passarão por um processo de sanitização de ambientes, a ser realizado por empresa especializada em desinfecção e devidamente credenciada. A partir daí, a manutenção e os procedimentos de biossegurança deverão ser mantidos, elevando consideravelmente o nível de prevenção.

Essas e muitas outras ações serão necessárias para que a escola esteja pronta e segura para receber os alunos. Os educadores devem sempre lembrar que, essa pandemia irá passar, mas é nosso dever trazer soluções criativas para que o emocional dos alunos seja um dos objetos centrais de atenção.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *