Por uma Educação Bi/multilíngue Intercultural – Sphere | International School

Por uma Educação Bi/multilíngue Intercultural

A educação bilíngue se caracteriza como um espaço de cruzamento de culturas e discursos. Questões relacionadas à cultura e à interculturalidade estão sempre presentes, mas o que de fato promove uma educação intercultural e multilíngue? Ofelia Garcia, Fernanda Liberali e Antonieta Megale discutiram essas questões no dia 14 de julho desse ano, em um webinar realizado pela Sphere International School.

Antonieta Megale iniciou o encontro com uma explanação sobre o atual cenário de Educação Bilíngue no Brasil, a partir do reconhecimento do cenário sociolinguístico brasileiro. Em seguida, Fernanda Liberali falou sobre a importância de um olhar mais amplo para a educação bilíngue, incluindo múltiplos modos de expressão e interação com o outro. Ofélia García então explicou como essa visão de linguagem se conecta com uma perspectiva dinâmica de linguagem, em que uma abordagem de translanguaging considera os diferentes recursos de expressão e construção de significado que fazem parte do repertório de cada um.

A partir do contexto de translanguaging, as três convidadas discutiram como a compreensão do que caracteriza a interculturalidade se faz necessária para práticas didáticas que de fato se voltem à formação de pessoas mais sensíveis e capazes de interagir com diferentes visões e modos de vida. Nesse sentido, os multiletramentos foram apresentados como um caminho para a ampliação das vivências dos alunos, em situações conectadas com a vida e com o compromisso com a justiça social.

A discussão se conectou com a filosofia educacional da Sphere International School, ao endereçar questões voltadas ao que chamamos de “mentalidade internacional”. Somente com vivências mais ampliadas, voltadas não apenas ao que foi construído no passado, mas àquilo que pode ser transformado, com responsabilidade, no presente e no futuro é que podemos inovar e criar soluções mais sustentáveis, no sentido mais amplo da palavra.

Com tantas discussões e perguntas dos participantes, não foi possível esgotar o assunto em um único encontro e, por esse motivo, nossas convidadas se reuniram mais uma vez para responder às principais questões que foram apresentadas no chat durante o webinar.

Dessa vez, as questões foram agrupadas em três pontos principais:

  • 1. Como lidar com abordagens mais tradicionais de ensino de língua no Brasil e por que isso continua tão forte em nosso país?
  • 2. O que dizem as políticas e os documentos oficiais que estão em discussão para a regulamentação da Educação Bilíngue no Brasil e como eles se conectam com a visão proposta?
  • 3. Como realizar uma prática de translanguaging em sala de aula e como melhor formar os professores para “orquestrar” essa nova realidade?

Se você está curioso para saber o que disseram as nossas especialistas, vejam o vídeo gravado no dia 23 de julho, no canal do Youtube da Sphere International School:

Foi uma honra mediar essa conversa com a Fernanda Liberali, Antonieta Megale e Ofelia García, três grandes especialistas e pessoas que nos inspiram a buscar modelos de educação bilíngue mais dinâmicos, inclusivos e adaptados aos novos tempos.

Susan Clemesha

Bacharel em Comunicação Social pela USP e mestre em Linguística Aplicada pela PUC-SP. Atua na área de Educação Bilíngue há mais de 18 anos e atualmente é Diretora Acadêmica da Rede Sphere International School. É professora colaboradora em curso de pós-graduação em Educação Bilíngue e integra os grupos de pesquisa LACE (Linguagem em Atividade no Contexto Escolar) e GEEB (Grupo de Estudos em Educação Bilíngue), ambos da PUC-SP.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *