Por que o sono das crianças e jovens é tão importante? – Sphere | International School

Por que o sono das crianças e jovens é tão importante?

Existem algumas hipóteses para explicar a correlação entre aprendizado e sono. Atualmente temos dados de pesquisas indicando que o sono faz mais do que permitir que o cérebro descanse, mas também tem um papel fundamental na aprendizagem.

Podemos dizer que a fase do aprendizado possui três estágios principais:

  • Aquisição: é o primeiro passo do aprendizado, é quando temos acesso a novas informações.
  • Consolidação: é o estágio em que integramos todas essas novas informações à nossa memória de longo prazo.
  • Recordar: que é nossa capacidade de recuperar essas informações de nossas memórias.

A atenção tem um papel essencial durante o estágio de aquisição, determinando se essas novas informações serão consolidadas.

O sono é importante para a fixação na memória de conceitos abstratos e mais complexos. Durante o sono, as experiências do dia são transferidas da memória de curto para a de longo prazo. No sono REM – Rapid eye moviment (sono onde ocorrem os sonhos), as novas memórias são integradas às memórias antigas, à visão do mundo e às abstrações. Memórias não declarativas também são consolidadas durante o estágio REM. Esse tipo de memória é responsável pelas tarefas que realizamos sem pensar conscientemente sobre elas, por exemplo: aprender um instrumento musical, dirigir, dançar e praticar esportes e etc.

O sono NREM – não REM ou sono de ondas lentas, é responsável pela recuperação, descanso, e é a fase onde ocorrem a síntese de proteínas e secreção do hormônio de crescimento – GH. Uma noite de sono é composta de 4 a 6 ciclos de sono REM + NREM (duração de cada ciclo de 90 min).

O sono é o alimento do cérebro!

Obter um sono de qualidade consistente em melhorar o desempenho mental, emocional e físico do aluno. O sistema imunológico fica mais resistente, há um maior equilíbrio nos hormônios, um aumento no metabolismo e como consequência melhora da função cerebral.

Durante o sono o cérebro está “se recuperando”, “se organizando”.

Nosso corpo usa o tempo que estamos dormindo para filtrar as informações que nos são relevantes, o que nos permite repetir os processos de diferentes aprendizados dia após dia. Portanto, melhorando o sono, melhoramos nossa capacidade de aprender.

A falta de atenção é uma falha de concentração. Alunos privados de sono têm motivação reduzida, falta de energia, alteração do humor e redução de atenção. Portanto, diminuindo a eficiência da aprendizagem. A privação do sono também afetar a agilidade e precisão de recuperar diferentes informações de nossas memórias de longo prazo e aplicá-las na vida diária.

Podemos considerar um sono de qualidade quando ele não é interrompido, ou seja, a pessoa deve ter uma noite tranquila para passar por todas as fases do sono. Acordar durante a noite, ou ficar exposto a estímulos que possam superficializar o sono (vizinhos ou estradas barulhentas, temperatura inadequada ou luz), pode ser um grande problema para garantir a qualidade do sono. Os transtornos respiratórios do sono, como ronco e apneia (paradas respiratórias), levam a fragmentação do sono devido aos vários despertares gerando um sono de má qualidade.

É importante que se tenha uma rotina que promova um sono com qualidade. O ambiente para um sono saudável deve ser escuro, silencioso e confortável. No escuro o corpo produz um hormônio chamado melatonina, cuja função é a de justamente regular o sono. Além disso, o cérebro precisa de uma hora para “adormecer”, sendo imprescindível diminuir os estímulos luminosos antes de dormir, fazendo algo que chamamos de higiene do sono. Portanto, devemos diminuir o uso de celulares e TV, aplicar rotinas para se acalmar (como Mindfulness, por exemplo), fazer uma leitura ou ouvir uma música calma. A “casa precisa adormecer”, assim você dará sinais para seu cérebro de que é noite e hora dormir.

Pensar no sono também é levar em consideração o cronotipo de cada indivíduo, por exemplo:

  • No cronotipo matutino o pico de produção de melatonina ocorre geralmente antes da 22h. São as pessoas que precisam ir para a cama cedo e são mais ativos nas primeiras horas do dia. Em geral, dormem entre as 22h e 6h da manhã.
  • No cronotipo vespertino o pico de melatonina acontece mais tarde, geralmente após as 23h. São aquelas pessoas que rendem melhor à noite, mas precisam prolongar o descanso até o início da manhã.

Saber qual o melhor momento do dia para descansar ou estudar, no caso dos estudantes, é importante para realizar as tarefas sem ter que lutar contra o relógio biológico. Assim, os alunos terão a oportunidade de ter um melhor desempenho e produtividade nas atividades do dia a dia. 

Muitas das dificuldades acadêmicas são decorrentes da má adequação aos ritmos biológicos fisiológicos para cada faixa etária, podendo trazer dificuldades para a fixação do conteúdo e falta de atenção.

Sendo assim, aqueles que estão à frente dos planejamentos da rotina escolar precisam se atentar na organização do ambiente, objetivando com isso um melhor rendimento de todos. Isso significa organizar atividades de modo a contemplar momentos de maior ou menor rendimento nas tarefas escolares, seja do ponto de vista dos alunos ou dos professores.  

Durante a infância , até a adolescência, tendem a ser mais matutinos, logo no início da manhã já estão com todo o pique. Porém, escolas de ensino infantil, precisam dar oportunidade para a criança dormir depois do almoço caso ela queira. As escolas podem ter um ambiente do sono e um ambiente das atividades lúdicas, da leitura, entre outras atividades que a escola decidir para aqueles que permanecerem acordados. Já para os adolescentes, ritmo vespertino, que costumam dormir tarde e acordar tarde, seria ideal que eles pudessem começar as aulas após às 9 horas, por exemplo. Cabe à escola repensar de que maneira pode distribuir as atividades e se ajustar às necessidades dos estudantes de acordo com a faixa etária que atende.

Para saber mais sobre esse assunto, a Dra. Eliânia Pontes, médica especialista em distúrbios do sono, compartilhou conosco um estudo da Associação Brasileira do Sono – ABS, sobre a importância da alteração dos horários escolares para essa faixa etária. 

Juliana Silva

Professora na Sphere International School desde 2008 e autora dos materiais didáticos da Sphere utilizados no Ensino Fundamental Anos Iniciais. Licenciada em pedagogia pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialização na Educação Infantil. Atualmente, trabalha com classe de alfabetização bilíngue (Year 1) e está concluindo sua pós- graduação em Neurociência na Escola pelo Instituto Singularidades.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

One Response

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *