A Formação de Professores para a Diversidade e Inclusão – Sphere | International School

A Formação de Professores para a Diversidade e Inclusão

Muito vem sendo dito a respeito do tema diversidade e inclusão em nossa sociedade atual. No entanto, será que nós, educadores, realmente compreendemos o impacto que a aplicabilidade desses conceitos pode ter em nossas aulas e em nossas relações com alunos e famílias? Será que temos tido a oportunidade e mente aberta para aprender sobre seu real significado para que possamos transformar o ambiente escolar em um local diverso e inclusivo, no qual alunos, famílias, professores e colaboradores em geral, sintam-se acolhidos?

Neste texto, vamos discutir brevemente os conceitos de diversidade e inclusão com foco na formação dos professores e refletir sobre a importância de termos nas escolas momentos de reflexão para que todos os educadores tenham a chance de expandir seus olhares para a construção de um ambiente escolar diverso, inclusivo e acolhedor, no qual professores, alunos e famílias possam conviver colaborativamente respeitando e celebrando as diferenças que os unem.

A instrutora Pat Wadors (2019) explica que compreendemos diversidade quando valorizamos a singularidade de cada um, as origens, culturas, gêneros e raças diferentes das nossas. Já inclusão é o nosso convite a esses grupos diversos e, muitas vezes, diferentes de quem somos a participarem de nossas vidas, para que, com eles, possamos ampliar nossos olhares e aprender o que sozinhos, possivelmente, não seria possível.

No entanto, segundo Wadors, há uma terceira peça muito importante em tudo isso: pertencer. É o pertencimento que oferece a todos nós o sentimento de acolhimento por tudo o que somos e representamos uns aos outros. Assim, é a união desses três componentes, que poderá nos auxiliar na promoção de um ambiente escolar diverso, inclusivo e acolhedor, no qual encontramos alegria em aprender com as diferenças uns dos outros.

É neste contexto que a formação de professores também pode ser pensada. É fundamental que os educadores possam integrar diversidade, inclusão e pertencimento em sala de aula, mas para isso, faz-se necessário oferecer aos docentes a oportunidade de compreender, refletir e praticar essas propostas em seu cotidiano. Os professores devem ter essa consciência e intencionalidade no momento da preparação e entrega de suas aulas para que possam criar momentos em que esses três elementos possam estar conectados aos conteúdos estudados. Dessa forma,  estimularão nos estudantes a curiosidade para ouvir os outros, quem são, suas opiniões e, assim, possibilitarão a ampliação de seus repertórios cognitivos, linguísticos e sociais. Além disso, todos ganhamos quando a  convivência com o diverso passa a ser visto como natural e necessário, passa a nos constituir para que tenhamos mais mobilidade na escola e no mundo.

Em um ambiente bi/multilíngue, no qual os alunos estão em contato com diversas línguas e culturas, ter professores capazes de propor situações que intencionalmente irão gerar o aprendizado e fomentar a compreensão da diversidade e inclusão pode favorecer o sentimento de pertencimento dos alunos a um grupo que valoriza as características e diferenças de cada um, por meio de aulas que contemplam a todos e lhes oferece a chance de vivenciar experiências que lhes dão voz ao mesmo tempo que possibilitam a visualização de sua atuação no mundo de diversas formas. Dessa forma, os professores podem contribuir para o desenvolvimento de competências e habilidades dos estudantes para além do aprendizado da língua adicional, propiciando momentos em sala de aula que gerem a aquisição de saberes e aprendizados mais próximos ao mundo real.

Que possamos olhar para a formação dos professores neste contexto, de maneira a ir além do discurso tradicional, que possamos oferecer a eles um processo formativo crítico e engajado que os auxilie a evoluir em um mundo que não é um só, já que não há nada neste mundo que permaneça sempre igual. A formação dos professores para a diversidade, inclusão e pertencimento, deve oferecer aos docentes confiança para a formação de cidadãos que possam não apenas respeitar as diferenças que encontrarem para além dos muros da escola, mas que sejam capazes de valorizá-las com o objetivo de construírem uma sociedade outra, que reconhece no outro um infinito de possibilidades e oportunidades.

Este texto é adaptado de:

Diversity, Inclusion and Belonging.  https://www.linkedin.com/learning/diversity-inclusion-and-belonging-2019

por Pat Wadors

Sandra Borges

Sandra Borges

Sandra Borges atua há 19 anos na área de English Language Teaching, trabalhando como professora de inglês, coordenadora pedagógica e formadora de professores. É especialista em Educação Bilíngue e em Ensino de Inglês, bacharel em Letras Inglês/Português e, no momento, cursa Mestrado em Ensino Internacional da Língua Inglesa pela Saint Mary’s University, Canadá. Além disso, é integrante dos grupos de estudo GEEB (grupo de estudos em educação bi/multilíngue) e Projeto Brincadas parceiros do grupo de pesquisa LACE (Linguagem em Atividades no Contexto Escolar) e filiados à Universidade PUC-SP.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

One Response

  1. Gostei muito. Formações assim são importantes, bem significativas para a formação global de educadores, consequentemente, de educandos também, visando posturas inclusivas, que possibilitem acolhimentos mútuos, capazes de gerar cada vez mais sentimentos de pertencimento grupal sem discriminações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *